09 dezembro 2011

ALL I WANT FOR CHRISTMAS

Chegou o natal e aquele foco enorme em coisas. Veja bem, eu gosto de coisas, um monte de coisas, coisas de montão. Existe uma tonelada de coisas que eu compraria hoje se tivesse dinheiro para comprar.
Mas, ontem eu recebi um e-mail de uma empresa chamada Stuff que mexeu demais comigo e me deixou com o seguinte pensamento: 

Espere um minuto, o natal é muito mais do que coisas!

Por que é que esse e-mail me fez ponderar sobre isso? Porque ele foi enviado por uma empresa que vende coisas, boas coisas, coisas que de fato eu usaria ou daria para amigos. E essa empresa em seu e-mail, ao invés de tentar me vender as suas coisas, me fez a seguinte pergunta:

Se você pudesse dar um abraço em alguém nesse natal, em quem você daria?

Veja bem, o que eu achei fantástico é que a Stuff não me escreveu com o intuito de me vender suas coisas, ou me falar sobre as suas diversas formas de pagamento. O que eles me pediram foi para que eu parasse por um segundo e pensasse em quem eu daria um abraço durante um período no qual as pessoas dão presentes, bebem sem moderação, e procuram terapia para saber se a vida vale a pena ser vivida.

A Stuff sugeriu que no lugar de eu fazer uma lista daquilo que quero, eu fizesse uma lista de pessoas com quem eu me importo o bastante para querer dar um abraço neste Natal! Enfim, minha lista poderia facilmente conter bem mais do que uma só pessoa já que eu conheço uma quantidade razoável de indivíduos que, nesse exato momento, estão precisando muito de um abraço.

Portanto, querida Stuff, como forma de gratidão a vocês por me deixarem fazer parte de uma experiência tão incrível como essa, e em resposta à seu lembrete maravilhoso em relação àquilo que de fato é importante na vida, eis aqui a minha lista:

Meu abraço vai para:

1.  Meus amigos que estão passando por momentos de dificuldades em suas vidas;
2. Meus filhos, que me amam incondicionalmente;
3. Meus pais que jamais desistiram de mim enquanto eu desistia de mim mesmo;
4. O meu amor que é a mulher que perdeu tempo com sua rosa e fez dela tão importante;
5. O seu Elias, meu jardineiro, a quem eu desejo tudo de bom e que, embora eu não possa pagar o tanto que ele merece receber, ele vem toda semana com um sorriso no rosto, mesmo passando grandes dificuldades;
6. A Dona Sueli da lavanderia, que é como uma mãe para mim, em cujos ombros eu já chorei várias vezes e que tira todas as manchas que faço em minhas roupas;
7. A todas as pessoas que lêem meus blogs e me apóiam, mesmo que eu não tenha que pagar nada a elas ou compensá-las com bajulações.
Enfim, na verdade, o seu Elias e a Dona Sueli citados nos itens 5 e 6 não existem, mas é que eu achei que valeria a pena inventá-los para deixar o texto mais bonitinho. Semelhantemente, a Stuff também não existe, nem o tal e-mail encorajando abraços existe, e, quer saber de uma coisa: não sei nem mesmo se o tal espírito de Natal de fato existe. E se existe, eu proponho que ele deixe de ser um espírito passageiro e decida de vez ficar por aqui por todos os 12 meses do ano, não para que as vendas aumentem, mas para que nós fiquemos mais despertos para perdoar, relevar, tolerar, cuidar, ouvir,  aceitar, ou simplesmente amar mais. 


É com carinho que te desejo um Feliz Natal e que você tenha sempre muito amor para dar, a qualquer tempo, aos que cruzarem o teu caminho.

Ivan.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são bem legais!!!